Compartilhe no Facebook

textos: Pão Diário.

A maior glória

Leia: João 17:1-5,20-24
A Bíblia em um ano: GÊNESIS 16, cap. 17; MATEUS 5:27-48
Naqueles dias, o imperador Augusto decretou um recenseamento em todo o império romano. (Lucas 2:1)
César Augusto é lembrado como o primeiro e maior imperador romano.
Pelas habilidades políticas e poder militar, ele eliminou seus inimigos, expandiu o império e tirou Roma do caos das vizinhanças degradadas, transformando-a numa cidade de estátuas e templos de mármore.
Os cidadãos romanos se referiam a Augusto como um pai divino e salvador da raça humana.
Quando o reinado de 40 anos chegou ao fim, suas últimas palavras oficiais foram: “Encontrei uma Roma de barro e a deixei de mármore”.
Segundo sua esposa, porém, suas palavras na verdade foram: “Eu desempenhei bem minha função? Então me aplaudam ao sair”.
O que Augusto não sabia é que teria um papel coadjuvante numa história maior.
à sombra do seu reinado, o filho de um carpinteiro nascia para revelar algo muito maior do que qualquer vitória militar, templo, estádio ou palácio romano (v.1).
Mas quem poderia ter compreendido a glória pela qual Jesus orou na noite em que Seus compatriotas exigiram que Ele fosse crucificado pelos executores romanos (JOÃO 17:4,5)?
Quem poderia ter previsto a maravilha oculta de um sacrifício que seria aplaudido para sempre no Céu e na Terra?
É uma história e tanto! Nosso Deus nos encontrou em busca de sonhos tolos e lutando entre nós mesmos. E nos deixou cantando juntos sobre uma rude cruz.

— Mart De Haan

A única glória que precisamos é a da cruz de Cristo.