Compartilhe no Facebook

textos: Pão Diário.

A última palavra

Se nossa esperança em Cristo vale apenas para esta vida, somos os mais dignos de pena… (v. 19)
setembro 5 | A Bíblia em um ano: SALMOS 146, Sl. 147; 1 CORÍNTIOS 15:1-28
LEIA 1 Coríntios 15:12-19
Admito que eu tinha uma certa queda por Sara na época de escola. Sua risada era maravilhosa e não tenho certeza se ela sabia dessa minha paixão, mas suspeito que sim.
Após a formatura, perdi o contato com ela e seguimos em direções diferentes, como muitas vezes acontece.
Continuo em contato com alguns daquela turma de formandos em fóruns online e fiquei muito triste quando soube que Sara morreu.
Refleti sobre a direção que a vida dela tinha tomado ao longo dos anos. Quanto mais idoso fico mais perco amigos e familiares.
No entanto, muitos de nós temos a tendência de evitar falar sobre isso.
--------------------------------------------------------------------------
Apesar de nos entristecermos, essa esperança sobre a qual o apóstolo Paulo fala é a de que a morte não tem a palavra final (vv.54,55).
Há, em seguida, outra palavra: ressurreição.
Paulo fundamenta essa esperança no fato de Cristo ter ressuscitado (v.12), e diz:
“se Cristo não ressuscitou, nossa pregação é inútil, e a fé que vocês têm também é inútil” (v.14).
Se nossa esperança como cristãos é limitada apenas a este mundo, somos os mais dignos de pena (v.19).
Um dia veremos novamente aqueles que “adormeceram crendo em Cristo” (v.18):
avós e pais, amigos e vizinhos ou talvez até antigas paixões de pátios de escola.

A morte não é a última palavra. A ressurreição sim!

Por John Blase