Compartilhe no Facebook

textos: Pão Diário.

É escorregadio aqui fora!

Não permitas que eu me desvie para o mal… (v. 4)
setembro 3 | A Bíblia em um ano: SALMOS 140, Sl. 141, Sl. 142; 1 CORÍNTIOS 14:1-20.
LEIA Salmo 141
Anos atrás, quando eu estava aprendendo a esquiar, segui meu filho Josué no que parecia ser um declive suave.
Com meu olhar fixo nele, não percebi que ele tinha descido a colina mais íngreme da montanha e desci a encosta completamente fora de controle. E claro, caí violentamente.
-------------------------------------------------------------------------
O Salmo 141 nos mostra como é fácil nos inclinarmos ao pecado.
A oração é uma das formas de nos mantermos atentos a esses escorregões:
“Não permitas que eu me desvie para o mal” (v.4)
É um apelo que ressoa quase exatamente a oração do Senhor:
“E não nos deixes cair em tentação, mas livra-nos do mal” (MATEUS 6:13).
Em Sua bondade, Deus ouve e responde a essa oração.
Nesse salmo, também encontro outro agente da graça: um amigo fiel.
“Firam-me os justos! Será um favor! Se eles me corrigirem, será remédio que dá alívio; não permitas que eu o recuse” (v. 5).
As tentações são sutis. Nem sempre estamos conscientes de que estamos errados.
Um amigo verdadeiro pode ser objetivo.
“-As feridas feitas por um amigo sincero são melhores…” (PROVÉRBIOS 27:6).
É difícil aceitar a repreensão, mas, se vemos o ferimento como “bondade”, ele pode se tornar uma unção que nos coloca de volta no caminho da obediência.

Que possamos estar abertos à verdade dita por um amigo de confiança e dependermos de Deus em oração.

Por David Roper