Compartilhe no Facebook

Textos: Max Lucado

"Tempestades Sem Arco-íris"

Vítimas de suicídio lutaram nas competições mais cruéis da vida.
Frequentemente, enfrentavam uma doença mental ou enfermidades e sentiam o perigo da fadiga mental.
O que você e eu consideramos garantido, eles cobiçavam. Otimismo. Esperança. Confiança de que tudo ficaria bem.
Suas nuvens não tinham forros de prata; suas tempestades não tinham arco-íris.
E nós perguntamos: por que ele não conseguiu sair dessa crise?
Ignorar este momento difícil... se animar e seguir em frente?
Claro, se a luta fosse física, não teríamos feito essas perguntas.
Dos pacientes com câncer, não perguntamos: "Por que eles não se livraram daquele melanoma?" Compreendemos o poder do câncer.
Podemos não compreender o mistério da doença mental. Certamente não. Mas isso eu observei. A depressão faz com que pessoas boas façam a escolha errada.
Sejamos claros: o suicídio é a escolha errada. A data de nossa morte é escolha de Deus, não nossa.
Ele concede vida e a leva. Quando as pessoas orquestram sua própria morte, fazem a escolha errada.
Mas o erro é espiritualmente fatal? Desistimos de qualquer esperança de sua salvação eterna? Ficamos com a terrível conclusão de que o céu não tem lugar para eles?
De jeito nenhum. Pois, embora o suicídio seja a escolha errada, não é que todos nós já fizemos escolhas erradas?
E Cristo não veio para pessoas como nós? Estruture sua vida corretamente.
Lembre-se de boas decisões.
Faça um catálogo de dias dignos de comemoração.
Jesus disse: “Vinde a mim, todos vós que estais cansados e oprimidos, e eu vos aliviarei” (Mt 11:28).

Deus não mede uma pessoa por uma decisão, nem tampouco nós devemos.